Comprovando a sua posição de melhor Agremiação do Brasil, o Judô Comunitário Instituto Reação, comandado pelo Medalhista Olímpico Flavio Canto e pelo Super Campeão Geraldo Bernardes, responsável por mudar vidas através do Judô, depois de conquistar o Título Masculino do Grand Prix Nacional Interclubes, vence também no Feminino e se torna Tri Campeão, de forma consecutiva (2015 – 2016 – 2017).

O Grand Prix Feminino foi disputado no último final de semana, dias 25 e 26 de novembro, no Centro Pan-americano de Judô, em Lauro de Freitas, na Bahia.

O Tri Campeonato veio com vitória por 3X2 sobre o Esporte Clube Pinheiros!

No primeiro combate na categoria 52 kg, Jéssica Pereira enfrentou Eleudis Valentim e a luta, muito equilibrada desde o começo, terminou empatada. No Golden Score, Jéssica conseguiu um Waza-Ari, assegurando o primeiro ponto do Instituto Reação.

Em seguida, Tamires Crude, na categoria 57 kg, assinalou dois Waza-Aris contra Joseane Nunes e depois finalizou com uma chave de braço, vencendo por Ippon.

Com 2X0 no placar, faltava mais um ponto para o Instituto Reação garantir o Título e no terceiro combate, foi à vez da Campeã Olímpica, Rafaela Silva, superar Jéssica Santos na categoria 63 kg com um Waza-Ari.

Com 3X0 no placar, o Título de Tri Campeão do Judô Comunitário Instituto Reação estava garantido e para Rafaela Silva, representou o seu quinto título, fazendo dela a Atleta mais vitoriosa da história do GP Feminino.

"No início do Grand Prix, o Reação ainda não tinha muitas atletas de alto rendimento. Éramos apenas eu e minha irmã Raquel Silva. Então, eu lutei pela SOGIPA e pelo Esporte Clube Pinheiros e fui campeã com esses dois clubes até que conseguimos formar uma equipe muito forte no Instituto Reação. Há quatro anos disputamos o Grand Prix, batemos na trave no início, mas conseguimos crescer nos outros anos. Neste ano viemos sem o peso 70kg, então, sabíamos que precisávamos abrir sempre três pontos no início para sairmos vitoriosas e foi o que fizemos. Agora, vamos trabalhar para construir uma nova equipe mista para poder continuar brigando por medalha no ano que vem." Palavras de Rafaela Silva.

“O foco, a raça e a determinação foram os princípios que a equipe feminina do Instituto Reação teve durante as lutas no GP feminino edição 2017 na Bahia. A cada equipe vencida aumentava a possibilidade de sermos tricampeões. Na final pegamos a equipe fortíssima do EC Pinheiros, quando a categoria - 52 kg, com o confronto entre as atletas Eleudis do Pinheiros e Jessica do Reação seria determinante. Este confronto emocionante com a vitória da Jessica deu a equipe do Reação a certeza do TRI pois os próximos confrontos com as atletas Tamires e Rafaela Silva dentro da nossa estratégia eram considerados como, possíveis vitórias e foi o que aconteceu”.

“O resto foi só comemoração pelo feito inédito. Aproveito para parabenizar as nossas atletas heroínas pelo foco, garra e determinação. A toda equipe multidisciplinar, Bruno da Fisio, a Nell Salgado, Paulo Caruso, Ana Cristina e aos técnicos Marcio, Guilherme e Daniel pelas horas de treinos possibilitando que estas atletas alcançassem título tão inédito na história do Reação. Parabenizo também a diretoria , funcionários e a todos que de alguma maneira contribuíram para que fosse possível a realização do Tricampeonato Nacional Interclube do Brasil”.

“A NAÇÃO do Instituto Reação está em Festa”! Palavras de Geraldo Bernardes.

Os pontos do Esporte Clube Pinheiros foram marcados por Bárbara Timo (70 kg), que venceu Carolina Pereira por ippon (hansokumake), e por Maria Suelen Altheman (+70 kg), que imobilizou Camila Yamakawa até o ippon.

Na disputa pelo Bronze o Minas Tênis Clube superou a SOGIPA pelo placar de 4X1.

Esta foi à última edição do Grand Prix Nacional Interclubes Feminino de Judô. Depois de 12 anos com o formato por divisão de gêneros (feminino e masculino), o Grand Prix, a partir de 2018, passará a ser disputado por equipes mistas formadas por homens e mulheres, nos moldes da competição aprovada pelo Comitê Olímpico Internacional que valerá medalha nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

Outra Agremiação Carioca presente no Grand Prix Feminino foi o Jequiá Iate Clube e ficou com a oitava posição.

O Rio de Janeiro passou a ter 4 Títulos conquistados pelo Reação (2015-2016-2017) e Flamengo (2012), seguido de Minas com 3, conquistados pelo Minas Tenis Clube (2011-2013-2014), São Paulo também com 3, conquistados pel o São Caetano (2006-2008) e Pinheiros (2005). Por último com 2 títulos vem o Rio Grande do Sul conquistados pela SOGIPA (2009-2010).

O JUDÔ CARIOCA parabeniza todos os Atletas e Comissão Técnica do Rio de Janeiro que estiveram presentes Grand Prix Nacional Feminino Interclubes, em especial ao Judô Comunitário Instituto Reação pela bela conquista do Tri Campeonato.

Destaque

ARTHUR-BARBOSA-2017.jpg

Parceiros

Banner